Fetiasp - MulheresCrédito: Arquivo: Fetiasp

O Dia Internacional da Mulher é comemorado pelos Sindicatos da Força Sindical durante todo o mês de março. No domingo, o Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André fez sua homenagem às mulheres. As diretoras Aldeniza Moreira de Araújo, Maria Andreia Cunha Matias e Viviane Cristina de Camargo comandaram a festa realizada na rua. “Lutamos pela paz e pelo fim da violência”, dizem as trabalhadoras.

Ontem, foi a vez da Fetiasp (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de São Paulo) e seus Sindicatos filiados. A diretora da Federação Neuza Barbosa de Lima coordenou o evento.  “Este é um momento de reflexão”, declarou a secretária da Mulher da Fetiasp, Maria Goreth de Aragão.

A secretária da Mulher da Força Sindical-SP, Helena Ribeiro, falou sobre o PL da Igualdade (PL nº 4.857/2009), que está tramitando no Congresso Nacional, e defendeu a necessidade de o governo adotar  políticas públicas que obriguem as empresas privadas e públicas a pagar salário igual para homens e mulheres. A sindicalista destacou o projeto do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que institui multa para empresas que pagarem salários menores para mulheres.

A violência contra a mulher é disseminada em vários aspectos, e não abala apenas o corpo físico, que sofre com as agressões: atinge também  a parte psicológica, prejudicando o desenvolvimento da mulher em várias áreas, como, por exemplo, no mercado de trabalho. “O impacto da violência tem um custo bastante significativo. Para amenizar ou eliminar as consequências dos maus tratos são utilizados os sistemas judiciário, previdenciário e da saúde. Os gastos na América Latina chegam a 14% do PIB (Produto Interno Bruto) e, no Brasil, 10%”, conforme cálculos do Banco Mundial”, disse Camila Ikuta, técnica da subseção do Dieese da Força Sindical, que abordou o tema “Impactos da violência contra as mulheres”. Já a médica Ivone Gentili  discorreu sobre a saúde da mulher.

Também comemoraram o Dia da Mulher os Sindicatos dos Técnicos de Segurança de Guarulhos e dos Motoristas e Trabalhadores em Empresas de Táxis.
 

Fetiasp - MulheresCrédito: Arquivo: Fetiasp

O Dia Internacional da Mulher é comemorado pelos Sindicatos da Força Sindical durante todo o mês de março. No domingo, o Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André fez sua homenagem às mulheres. As diretoras Aldeniza Moreira de Araújo, Maria Andreia Cunha Matias e Viviane Cristina de Camargo comandaram a festa realizada na rua. “Lutamos pela paz e pelo fim da violência”, dizem as trabalhadoras.

Ontem, foi a vez da Fetiasp (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de São Paulo) e seus Sindicatos filiados. A diretora da Federação Neuza Barbosa de Lima coordenou o evento.  “Este é um momento de reflexão”, declarou a secretária da Mulher da Fetiasp, Maria Goreth de Aragão.

A secretária da Mulher da Força Sindical-SP, Helena Ribeiro, falou sobre o PL da Igualdade (PL nº 4.857/2009), que está tramitando no Congresso Nacional, e defendeu a necessidade de o governo adotar  políticas públicas que obriguem as empresas privadas e públicas a pagar salário igual para homens e mulheres. A sindicalista destacou o projeto do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que institui multa para empresas que pagarem salários menores para mulheres.

A violência contra a mulher é disseminada em vários aspectos, e não abala apenas o corpo físico, que sofre com as agressões: atinge também  a parte psicológica, prejudicando o desenvolvimento da mulher em várias áreas, como, por exemplo, no mercado de trabalho. “O impacto da violência tem um custo bastante significativo. Para amenizar ou eliminar as consequências dos maus tratos são utilizados os sistemas judiciário, previdenciário e da saúde. Os gastos na América Latina chegam a 14% do PIB (Produto Interno Bruto) e, no Brasil, 10%”, conforme cálculos do Banco Mundial”, disse Camila Ikuta, técnica da subseção do Dieese da Força Sindical, que abordou o tema “Impactos da violência contra as mulheres”. Já a médica Ivone Gentili  discorreu sobre a saúde da mulher.

Também comemoraram o Dia da Mulher os Sindicatos dos Técnicos de Segurança de Guarulhos e dos Motoristas e Trabalhadores em Empresas de Táxis.