Jovem de 24 anos contou à polícia ter custeado reparos no veículo com o próprio dinheiro. Ele foi preso na operação Justa Causa
carteira de trabalhoCrédito: Arquivo
O preso contou que discordou dos valores recebidos após a demissão
Um jovem de 24 anos foi preso em flagrante no Distrito Federal por ter furtado uma motocicleta da empresa onde trabalhou por três meses e foi demitido. Diante das circunstâncias, a Polícia Civil nomeou a operação, realizada no sábado, dia 12, de Justa Causa.
 
Segundo os investigadores da 38ª DP, o preso contou que discordou dos valores recebidos após a demissão . Ele explicou que arcou com reparos na moto com o próprio dinheiro e, por isso, acreditou que deveria ter sido ressarcido.
 
O ex-funcionário disse que voltou à distribuidora de bebidas, em Vicente Pires, para reclamar da situação com seu antigo chefe. No entanto, relatou não ter sido atendido. Assim, deixou o local levando consigo a motocicleta, conforme mostram imagens registradas por câmeras de segurança.
 
Após perceber o furto, o responsável pela empresa registrou ocorrência na delegacia. Os agentes investigaram o caso e localizaram o autor do delito, que foi autuado por crime de exercício arbitrário das próprias razões. A polícia constatou que o acusado pegou a moto para si como forma de ressarcimento dos valores trabalhistas que entendia ter direito.
 
Por se tratar de crime de menor potencial ofensivo, o homem foi liberado após a assinatura de termo circunstanciado. A motocicleta foi apreendida e será submetida à vistoria.
carteira de trabalhoCrédito: Arquivo
O preso contou que discordou dos valores recebidos após a demissão
Um jovem de 24 anos foi preso em flagrante no Distrito Federal por ter furtado uma motocicleta da empresa onde trabalhou por três meses e foi demitido. Diante das circunstâncias, a Polícia Civil nomeou a operação, realizada no sábado, dia 12, de Justa Causa.
 
Segundo os investigadores da 38ª DP, o preso contou que discordou dos valores recebidos após a demissão . Ele explicou que arcou com reparos na moto com o próprio dinheiro e, por isso, acreditou que deveria ter sido ressarcido.
 
O ex-funcionário disse que voltou à distribuidora de bebidas, em Vicente Pires, para reclamar da situação com seu antigo chefe. No entanto, relatou não ter sido atendido. Assim, deixou o local levando consigo a motocicleta, conforme mostram imagens registradas por câmeras de segurança.
 
Após perceber o furto, o responsável pela empresa registrou ocorrência na delegacia. Os agentes investigaram o caso e localizaram o autor do delito, que foi autuado por crime de exercício arbitrário das próprias razões. A polícia constatou que o acusado pegou a moto para si como forma de ressarcimento dos valores trabalhistas que entendia ter direito.
 
Por se tratar de crime de menor potencial ofensivo, o homem foi liberado após a assinatura de termo circunstanciado. A motocicleta foi apreendida e será submetida à vistoria.