Menu

Mapa do site

Emissão de boleto

Nacional São Paulo

Emissão de boleto

Nacional São Paulo
16 ABR 2024

Imagem do dia

Veja fotos do Lançamento do 1º de Maio Unitário Na manhã desta terça-feira (16) dezenas de lideranças sindicais fizeram uma panfletagem para iniciar a divulgação da celebração do Dia do Trabalhador – 1º de Maio Unificado das Centrais Sindicais foi realizado, no Largo da Concórdia (Estação de Trem do Brás), em São Paulo SP. O evento, este ano, será realizado no Estacionamento da NeoQuímica Arena (Itaquerão – estádio do Corinthians), na Zona Leste da capital paulista, a partir das 10 horas. O 1º de Maio Unitário é organizado pelas centrais sindicais:

  • Central Única dos Trabalhadores (CUT);
  • Força Sindical;
  • União Geral dos Trabalhadores (UGT);
  • Central de Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB);
  • Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST);
  • Central de Sindicatos do Brasil (CSB);
  • Intersindical – Central da Classe Trabalhadora e
  • Pública – Central do Servidor
Este ano, o lema do 1º de Maio Unificado será “Por um Brasil mais Justo” e vai destacar emprego decente; correção da tabela do Imposto de Renda, juros mais baixos, aposentadoria digna, salário igual para trabalho igual e valorização do serviço público.

Imagem do dia - Força Sindical

Enviar link da notícia por e-mail

Artigos

Se o momento é crucial, se faz necessário para negociar

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Artigos

Se o momento é crucial, se faz necessário para negociar

Por: Francisco Sales Gabriel Fernandes, Chiquinho

Arquivo Federação dos Metalúrgicos Convencionou-se dizer que estamos em crise.

Pode ser, mas em nossa histórica jornada sindical, de vários anos de lutas e de embates, compreendemos que o momento por qual passa a economia mundial, em especial a brasileira, é peculiar – e merece algumas considerações a fazer.

Isto significa dizer que a crise é distinta porque não são raros os prognósticos que nos alentam de esperanças de que a situação senão temporária, está fadada a terminar assim que houver a necessária disposição do capital olhar com menos perversidade as relações de trabalho.

 

Vamos aos fatos:

Embora na engrenagem produtiva esteja presente a mais valia trabalhista, isto é, o esforço do trabalhador no lucro empresarial, é preciso reafirmar que a chamada crise não é fruto do mundo do trabalho.

É, antes de mais nada, a inexistência de uma administração correta – ou honesta – dos créditos financeiros que não foram empregados, justamente, na produção.

Em outras palavras: o dinheiro fácil dos créditos de diversas instituições financeiras foram desviados para o ralo do desperdício e, por que não, da ganância.

Se prestarmos a atenção, vamos verificar que a deflagração da crise surgiu a partir dos créditos podres, sem lastro, do mercado imobiliário norte-americano, ao qual eram canalizados bilhões de dólares para o expurgo da banca finaneira internacional.

Daí para aglutinar bancos considerados gigantes da economia para a borrasca da economia mundial foi um pulo. E banco falido significa fim do crédito. É matemática a relação.

No entanto, o que presenciamos nos últimos meses teve seu começo em manifestações esporádicas de administrações canhestras.

Não presenciamos empresas até então sólidas, como a Enrom, por exemplo, metidas em maracutaias – e que faliram por causa disso – prenunciando o momento em que vivemos?

Tudo porque a direção destas empresas acreditava ser onipotente usando o dinheiro alheio, não poucas vezes o dinheiro público. O que ficava mais fácil para locupletar lucros e inchar balanços falsos.

Mas estas empresas não agiram sozinhas. Tiveram ajuda dos poderes constituídos de seus paises de origem. Se alguém se lembrou de George Walker Bush, de amarga lembrança, não é mera coincidência.

Após o desastre nos paises centrais, o alastramento da crise se deu feito nuvem de gafanhoto pelas economias dos diversos paises do mundo, entre eles as dos emergentes, como o Brasil.

NOVA SITUAÇÃO – desta vez, porém, o patronato verifica que não pode colocar sobre os ombros do trabalhador o ônus do equívoco administrativo – embora nós, sindicalistas, avaliamos que parte das demissões que viceja é fruto da antiga administração, que expolia e se aproveita do contexto em questão para dinamitar direitos trabalhistas.

Entretanto, tais empresários encontraram pela frente uma nova situação sindical, a que impede os argumentos em favor das demissões em massa.

Primeiro, porque nunca o capital ganhou tanto como nos últimos anos, com sucessivos recordes de vendas e lucros. Isto, em nossa opinião, concede a "gordura" necessária para enfrentar esta crise.

Segundo, porque os diversos indicadores econômicos brasileiros estão saudáveis, não sendo ocasionais as opiniões de que o Brasil é dos poucos paises em que a crise não atinigirá em cheio o macrossistema financeiro e produtivo nacional.

E , finalmente, o mais emblemático: o patronato encontrou as Centrais Sindicais não somente unidas, mas coesas em torno de ideais amplos em defesa do trabalhador, do trabalho e de toda a cadeia produtiva.

Os representantes das empresas (Fiesp e CNI) se surpreendem porque não estavam preparados para discutir com um movimento sindical disposto a endurecer, se preciso, no quesito chamado defesa dos direitos trabalhistas, respaldados pela Justiça do Trabalho, através do TRTs..

Portanto, não iremos, em hipótese alguma, ceder as conquistas obtidas com tantos sacrifícios ao longo de nossa história de desafios vencidos.

Vamos, com certeza, sentar à mesa de negociação – como já o fazemos – para debater e propor alternativas para amenizar a crie financeira que afeta a todos..

Mas que a negociação seja a mais ampla possível, para que os trabalhadores não custeiem o prejuízo de muitos que não souberam administrar seus negócios, e optaram por aplicar seus lucros no mercado financeiro.

Por isto mesmo, o momento é crucial. O momento é de negociar e de usar o bom senso; e não dar trégua ao capital selvagem.

Francisco Sales Gabriel Fernandes
o Chico do Sindicato, é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Mococa e Região, e também vice-presidente da Federação dos Metalúrgicos de São Paulo

Liberdade de expressão não é liberdade de agressão
Eusébio Pinto Neto

Liberdade de expressão não é liberdade de agressão

O esquenta do 1º de Maio
João Guilherme Vargas Netto

O esquenta do 1º de Maio

Um inovador primeiro passo
Clemente Ganz Lúcio

Um inovador primeiro passo

Pela manutenção da Democracia e sem anistia
Milton Cavalo

Pela manutenção da Democracia e sem anistia

“Combustível do Futuro” e o futuro do trabalho
Sérgio Luiz Leite, Serginho

“Combustível do Futuro” e o futuro do trabalho

Dia Internacional da Mulher: Desafios e compromissos pela igualdade
Maria Auxiliadora

Dia Internacional da Mulher: Desafios e compromissos pela igualdade

Uma questão de gênero
Aparecida Evaristo

Uma questão de gênero

Avanços reais
João Passos

Avanços reais

Dia dos trabalhadores em edifícios
Paulo Ferrari

Dia dos trabalhadores em edifícios

Comerciário sindicalizado só tem a ganhar
Milton de Araújo

Comerciário sindicalizado só tem a ganhar

Mensagem a Marinho
Josinaldo José de Barros (Cabeça)

Mensagem a Marinho

Apagão de responsabilidade
Nilton Souza da Silva, o Neco

Apagão de responsabilidade

Viva a república
Zoel Garcia Siqueira

Viva a república

19° CONGRESSO – ‘Democracia, sindicalismo e direitos trabalhistas’
Luiz Guedes da Conceição Aparecida

19° CONGRESSO – ‘Democracia, sindicalismo e direitos trabalhistas’

A contribuição assistencial e os oportunistas de plantão
César Augusto de Mello

A contribuição assistencial e os oportunistas de plantão

86,1% dos reajuste salarias tiveram ganho real no primeiro trimestre
Força 19 ABR 2024

86,1% dos reajuste salarias tiveram ganho real no primeiro trimestre

Vídeos 19 ABR 2024

Presidente da Força intensifica luta para fortalecer movimento sindical

Em Brasília, sindicalistas debatem necessidades do setor elétrico nacional
Força 19 ABR 2024

Em Brasília, sindicalistas debatem necessidades do setor elétrico nacional

Eusébio Neto representa trabalhadores no Conselho do SENAC
Força 19 ABR 2024

Eusébio Neto representa trabalhadores no Conselho do SENAC

Sintrabor: Prometeon dificulta a antecipação de acordos coletivos
Força 19 ABR 2024

Sintrabor: Prometeon dificulta a antecipação de acordos coletivos

Projeção de AFT para SP é reduzida; “não vamos abrir mão do contingente”, diz Cissor
Força 19 ABR 2024

Projeção de AFT para SP é reduzida; “não vamos abrir mão do contingente”, diz Cissor

Sindsaúde na posse do Conselho Federal de Enfermagem
Força 19 ABR 2024

Sindsaúde na posse do Conselho Federal de Enfermagem

Frentistas do Rio conquistam aumento de 7,3%
Força 18 ABR 2024

Frentistas do Rio conquistam aumento de 7,3%

Servidores públicos debatem financiamento sindical
Força 18 ABR 2024

Servidores públicos debatem financiamento sindical

Mobilização dos Portuários de Santos nesta quinta-feira (18)
Força 18 ABR 2024

Mobilização dos Portuários de Santos nesta quinta-feira (18)

Seminário promove debate sobre o combate ao assédio eleitoral no trabalho
Força 18 ABR 2024

Seminário promove debate sobre o combate ao assédio eleitoral no trabalho

Miguel e Chicão debatem fortalecimento da negociação coletiva
Força 18 ABR 2024

Miguel e Chicão debatem fortalecimento da negociação coletiva

Prevenção de Acidentes do Trabalho: lançada a CANPAT 2024
Saúde e Segurança 18 ABR 2024

Prevenção de Acidentes do Trabalho: lançada a CANPAT 2024

Luiz Marinho e deputado Gastão recebem centrais sindicais
Força 18 ABR 2024

Luiz Marinho e deputado Gastão recebem centrais sindicais

Articulação para atualização do movimento sindical segue em Brasília
Força 18 ABR 2024

Articulação para atualização do movimento sindical segue em Brasília

Dia do Motociclista Profissional em debate no Senado Federal
Força 17 ABR 2024

Dia do Motociclista Profissional em debate no Senado Federal

Sindicalistas debatem temas relacionados à previdência propostos no GT do Setor Químico
Força 17 ABR 2024

Sindicalistas debatem temas relacionados à previdência propostos no GT do Setor Químico

Lideranças da Força Sindical se reúnem com delegação chinesa da ACFTU
Força 17 ABR 2024

Lideranças da Força Sindical se reúnem com delegação chinesa da ACFTU

Após conquistas, Sintrabor exalta organização nos locais de trabalho
Força 17 ABR 2024

Após conquistas, Sintrabor exalta organização nos locais de trabalho

Terceirizada some e unidade de Saúde em Guarulhos fica sem limpeza
Força 17 ABR 2024

Terceirizada some e unidade de Saúde em Guarulhos fica sem limpeza

Reunião do presidente Miguel e assessor jurídico da CNTM
Força 17 ABR 2024

Reunião do presidente Miguel e assessor jurídico da CNTM

Sindnapi reforça divulgação do 1º de Maio Unificado
Força 17 ABR 2024

Sindnapi reforça divulgação do 1º de Maio Unificado

Por que regulamentar a relação entre motoristas de veículos 4 rodas e empresas de aplicativos?
Força 17 ABR 2024

Por que regulamentar a relação entre motoristas de veículos 4 rodas e empresas de aplicativos?

Liberdade sindical sob a ótica dos atos antissindicais em debate
Força 16 ABR 2024

Liberdade sindical sob a ótica dos atos antissindicais em debate

Hoteleiros de Goiás debatem fortalecimento do movimento sindical
Força 16 ABR 2024

Hoteleiros de Goiás debatem fortalecimento do movimento sindical

Ato e Canto pela Vida será domingo (28); confira programação
Força 16 ABR 2024

Ato e Canto pela Vida será domingo (28); confira programação

Veja fotos do Lançamento do 1º de Maio Unitário
Imagem do dia 16 ABR 2024

Veja fotos do Lançamento do 1º de Maio Unitário

Portuários fazem mobilização no Porto de Santos, nesta quinta (18)
Força 16 ABR 2024

Portuários fazem mobilização no Porto de Santos, nesta quinta (18)

Faça a sua inscrição e participe do 8⁰ Congresso Internacional de Direito Sindical
Força 16 ABR 2024

Faça a sua inscrição e participe do 8⁰ Congresso Internacional de Direito Sindical

Presidente Miguel Torres ressalta importância do Intercâmbio Sindical Brasil e China
Força 16 ABR 2024

Presidente Miguel Torres ressalta importância do Intercâmbio Sindical Brasil e China

Aguarde! Carregando mais artigos...